Eu perdi. O fio de nylon existe, mas não me prende: me alimenta. Não tenho muita fome, como pouco até. Não me preocupo com calorias, menos ainda com propriedades benéficas à saúde. Importa o colorido do prato, a cor do que engulo me pinta por dentro. Garanto, assim, que o fio permanecerá cumprindo sua função vital e, veja só, transparente de conexão. Meu apetite é melindroso, e por isso não posso chamar uns fragmentos coloridos que recebo – ou aqueles que cultivo em dois ou três vasinhos  – de migalhas. São milagres, transmutam-se em sentido e ligamento, alquimia pura. Mas parou de chover por meses e os pigmentos morreram pela ausência de boas misturas ou inabilidade para combiná-las. Eu perdi a fome, eu perdi o fio.

Anúncios

Um comentário em “

  1. Valentina disse:

    você sempre me deixou com fome…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s