Lançamento

Espero vocês lá!

Data: 10 de novembro de 2011
Horário: a partir das 19h
Local: Bar Canto Madalena
Endereço: rua Medeiros de Albuquerque, 471. Vila Madalena – São Paulo.
(mapa: http://migre.me/60bW5)

.

Anúncios

11

 

o número 11, olha ele aqui de novo

muitas coisas especiais na minha vida aconteceram num dia 11

esse blog mesmo, começou num dia 11

eu nasci no mês 11

vou lançar meu livro no mês 11 do ano 11. o livro tem 111 páginas

e hoje meu editor me disse que o livro chega da gráfica no dia 01/11/11

 

SABE O QUE ISSO SIGNIFICA? Nada!

Pois é, não quer dizer nada. Ou pode querer dizer que isso é muito auspicioso! ;)

 

 

 

A mudança de casa não foi apenas trocar cama, mesa e sofá de lugar. Me fez sentir um botão que não encontra onde se guardar. Meu inconsciente fica tentando me alertar sobre isso, eu sei. Revisito em sonho a casa antiga e lá a água ferve em uma leiteira que nunca foi minha. Não caibo, minhas roupas estão apertadas ou largas demais. Escuto ele dizer: reveja suas medidas e, mais uma vez, olhe pra cima. Quantas dependências são necessárias para que eu consiga habitar e dormir livremente? O que eu quero é andar de pijama em qualquer lugar.

aurora

“Delineando formas fantásticas, sombras mudas rastejam pelos cantos do aposento e ali se ocultam. Lá fora está o bulício dos pássaros entre as folhas, estão os passos dos operários que se dirigem para o trabalho, estão os suspiros e os soluços do vento que sopra das colinas e vagueia ao redor da casa silenciosa, como se tivesse medo de despertar os que dormem, que de novo teriam de fazer apelo ao sonho em sua gruta cor de púrpura. Nuvens de véus de gaze fina e escura vão-se alçando e gradualmente as coisas retornam suas formas e cores, e eis que observamos a aurora, que refaz o mundo em seus moldes antigos. Os espelhos lívidos encontram novamente sua vida mímica. As luzes apagadas estão onde havíamos deixado, e a nosso lado acha-se o livro de páginas ainda ligadas que folheávamos, ou a flor preciosa que usávamos no baile, ou ainda a carta que tínhamos tido receio de ler ou que tínhamos relido muitas vezes. Nada mudou. Afastada das sombras irreais da noite, ressurge a vida, na sua realidade já conhecida. Devemos retomá-la onde a deixamos e apodera-se de nós o terrível sentimento da continuidade necessária da energia no mesmo círculo monótono de hábitos estereotipados, ou então somos presas de um desejo selvagem de que nossas pálpebras se abram um dia sobre um mundo que tivesse sido refundido nas trevas para nosso próprio prazer, num mundo onde as coisas apresentariam novas formas e cores, que teria outros segredos, um mundo em que o passado ocuparia pouco ou nenhum lugar, em que as lembranças não sobreviveriam sob forma de inconsciente de obrigação ou pesar, uma vez que a recordação da própria felicidade oferece amarguras, assim como a lembrança do prazer já contém sua dor.”

Oscar Wilde. In: O retrato de Dorian Gray

no forno

Olha, vou falar uma coisa pra vocês: meu livro tá ficando lindo!

Meus editores, Aline e Eduardo, são os melhores do mundo, muito dedicados e carinhosos.

E a arte do Leonardo Mathias está incrível!

Estou feliz, obrigada aos envolvidos!  :)

O lançamento será em breve!

**

Atualização: olha a capa, gente:

acho que você sabe, eu prefiro não fazer pedidos. é porque ouvir caiu na rotina, não se pode esperar tanto. ontem, meu coração estava na boca, eu mastiguei, mastiguei. mas parecia aquele pedaço de carne que embola e não dá pra engolir, esquisito. por fim, mordi a língua de novo. prefiro o silêncio de quando fecho os olhos, e você já notou que minha testa desanuvia. hoje meu avô está no hospital, o tempo tem falta de ar. ele disse, vim fazer uma reforma, lili. cambalear, praqui e prali. faça essa sua viagem, mas volte por favor. isso eu peço.