Desamélia

Amigxs,

acontece neste domingo próximo (14/06) mais uma edição do Desamélia, que agora abre espaço para que mulheres escritoras e estudiosas da literatura falem sobre literatura e gênero.

Estarei presente na festa e participarei como convidada do bate-papo LITERATURA É COISA DE MULHER (às 17h30), na companhia das excelentes escritoras Ana Rüsche, Clara Averbuck, Jeanne Callegari e Ianá Souza.

LOCAL:
Las Magrelas
Rua Mourato Coelho, 1344, Pinheiros.

.

desamélia

Confira a programação completa e os horários a seguir:

NESSA EDIÇÃO:

15h :: Exibição do filme POESIA
(imdb.com/title/tt1287878/)

17h30 :: Debate-papo
LITERATURA É COISA DE MULHER
Mediação: Desamélia
Debatedoras: Ana Rüsche, Lilian Aquino, Jeanne Callegari, Clara Averbuck, Ianá Souza

Feirinha :: Durante todo o evento, diversas expositoras. Mais informações abaixo.

Microfone aberto :: Venha ler seu texto!

Exposição :: textos impressos de autoras diversas

19h30 :: FESTAAAAA!

DJs Desamélia + Clara Averbuck + BrisaFlow

Desamélia – mulheres fortalecendo mulheres – é um festival aberto, gratuito e colaborativo, programado para acontecer no segundo domingo de todo mês.

aonde

isto não tem vontade de ser literatura. isto quer ser apenas uma palavra puxando a outra.  eu sigo este trem de dentro do último vagão. sigo a sina de ser também de ferro e ser também fumaça. claro, como tantas outras mulheres, sou maria. densa e leve. acuada e atrevida sobre trilhos. meu nome já me alerta sobre ser todos os pontos de uma curva ao mesmo tempo, ser “lilian” e ser “abigail”, tão opostas, tão maria. onde estou com a cabeça? com as pernas? e os olhos, então? onde. aonde – me movimento colina acima, coluna torta. não escondo nada embaixo do chapéu. aqui nestas palavras, neste vago espaço de trem, sou quem prefere o ‘aonde’ ao verbo que o segue.

Um ou mais tempos

 

O teu rosto
agridoce
é jardim-de-inverno
no meu apartamento
é bala de canela

Na varanda
enquanto fuma
cigarros de cravo
está em pé
e cultiva cravos brancos
nas pontas dos dedos

– para aliviar o hálito
desfolha o plástico
da bala
a bochecha infla
com a esfera vermelha –

O teu rosto
jardineiro
madressilva-cacto
é onde passeio em dias
de sol

sarau para abrir os trabalhos do ano!

Amigxs queridxs,

na sexta-feira próxima (dia 16, às 20h) participarei de um lindo sarau (o “Todo Começo é Involuntário”), organizado pelo Hussardos Clube Literário, agora em parceria com a Revista Parênteses (em que tive o prazer de ser publicada).
Estou nas excelentes companhias de Ana Kehl de Moraes, Felipe Nepomuceno, Lubi Prates, Nathalie Lourenço, Raimundo Neto e Victor Heringer.

Venham, vai ser bem especial!

sar

2014

 

Você foi duro, 2014. Como um pai severo, tirou de mim coisas que muito amava, como brinquedos favoritos com que se passa a maior parte do tempo e se conforta em dias áridos. Mas eu sei que você, 2014-pai, via que aqueles brinquedos só sugavam de mim o meu melhor e me drenavam energia. E eu não saberia deixá-los sem sua mão forte. Mas reconheço também as muitas vezes que recompensou meus acertos e foi generoso, me dando outras possibilidade de realização, brincadeiras e conforto. Obrigada por tudo.